A importância dos edifícios em tempos de pandemia

Texto: Volcalis26/08/2020
Os edifícios são estruturas cada vez mais complexas que interligam muitas especialidades da engenharia, arquitetura e design de interiores. São estruturas fundamentais que devem promover, independentemente do seu uso e de forma eficiente, a qualidade de vida que a sociedade exige.
foto

Projetados e construídos para diferentes utilizações: hospitais, escritórios, equipamentos desportivos ou habitações, é importante valorizar aqueles que foram os espaços onde todo o planeta esteve fechado durante quase 3 meses (e em alguns casos ainda está). Talvez devido à concentração do nosso tempo nesses espaços, não foi raro ouvir “Nunca dei tanto valor à minha casa”, ou “que bom que seria ter um escritório para os dias de teletrabalho desta pandemia”, ou até “nunca passei tanto tempo na varanda”.

A proteção das condições atmosféricas exteriores, o conforto e a segurança sempre foram necessidades humanas fundamentais, quer para a saúde física quer mental. Por isso, mais do que nunca, é relevante pensar nos edifícios e na sua real importância presente e futura. Com a pandemia ela foi evidenciada como nunca nas últimas décadas.

foto

A importância do espaço, o seu real valor e compartimentação

Locais dimensionados para um uso eficiente, sem desperdícios em corredores ou zonas não utilizáveis, são uma tendência. Por isso, espessura de paredes interiores mais reduzida é uma vantagem. Este tipo de paredes pode construir-se utilizando soluções construtivas do Grupo Preceram, nomeadamente usando as placas de gesso Gyptec. Também a espessura das paredes exteriores pode diminuir aumentando dessa forma a área útil. O espaço é cada vez mais um luxo, nomeadamente nas cidades, e esta pandemia veio prová-lo.

O conforto térmico, acústico e visual

Um edifício confortável, energeticamente eficiente, com um bom isolamento acústico e que permita a iluminação natural é o edifício do futuro. Para tal é necessário um projeto e construção de qualidade, e garantir que os materiais utilizados são os que mais contribuem para estas características. Isolamentos térmicos e acústicos, como a lã mineral Volcalis, bem aplicados podem melhorar o conforto e contribuir para um edifício energeticamente mais eficiente.

A qualidade do ar que respiramos dentro dos edifícios

Essa qualidade é garantida se ocorrer uma adequada renovação de ar, mas também garantindo que os materiais que se usam no interior, quer materiais de construção, quer materiais decorativos não emitem quaisquer substâncias nocivas para a saúde humana. O setor da construção tem-se empenhado em testar e certificar materiais inócuos para a saúde, é o caso das lãs minerais da Volcalis e das placas de gesso da Gyptec.

A segurança do espaço usável

O local onde vivemos, trabalhamos ou estudamos deve ser um local seguro. É importante que o edifício seja estruturalmente seguro e cumpra a regulamentação atual, nomeadamente a regulamentação contra incêndios. Também aqui a escolha dos materiais e o dimensionamento de projeto são fundamentais. A utilização de materiais com bom comportamento ao fogo, incombustíveis como a lã mineral Volcalis deverá ser considerada.

Apesar de sentirmos necessidade de estar ao ar livre os edifícios continuarão a ser decisivos na forma como enfrentamos esta pandemia e outras (inevitáveis) catástrofes futuras. Não nos esqueçamos que foi neles que nos refugiámos durante estes meses, é neles que continuaremos, e que a sua qualidade e conforto também se refletem na nossa saúde física e mental.

20 Years Jaba traduçao técnica especializada 4.0NovoPerfil PtAdene: janelas eficientes só com etiqueta energética CLASSE+Novoperfil FacebookAcademia AnfajeNovoperfil Twiter

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

novoperfil.pt

Novoperfil - Informação para o setor da envolvente do edifício

Estatuto Editorial