Já conectas as tuas portas e persianas?

Primeiro hotel de paisagem em Espanha utiliza o vidro Guardian Glass para melhor se integrar na natureza

Novoperfil15/10/2020
O primeiro hotel de paisagem de Espanha, o VIVOOD Landscape Hotel, foi desenhado por arquitetos preocupados com a criação de espaços focalizados no desenho de um novo conceito, uma experiência para o hóspede, um lugar de evasão para o viajante que busca viver novas sensações de calma, luxo e exclusividade.
foto

Vista exterior de várias villas do hotel VIVOOD. Foto: Alfonso Calza.

Ecologia, sustentabilidade e bem-estar foram os três princípios sobre que se cimentou o projeto do arquiteto, fundador e diretor da VIVOOD Landscape Hotel & 5E Spa, Daniel Mayo. Este jovem de Segóvia quis trazer para a luz do dia um projeto inovador e pioneiro no setor turístico e assim fez, desenhando o primeiro hotel de paisagem de Espanha.
O VIVOOD Landscape Hotel encontra-se rodeado de natureza na província de Alicante, mais concretamente no vale de Guadalest. Aqui se encontra a propriedade de quase 81 mil metros quadrados onde se construiu este equipamento, num terreno repleto de vegetação mediterrânica e rodeado de montanhas.

O Hotel VIVOOD está pensado não só para que o hóspede deixe para trás a rotina e o stress graças à desconexão, o relaxe e o conforto que ali se alcança; VIVOOD procura, além do mais, ser uma experiência que apela a todos os sentidos, de modo a que uma pessoa se possa conectar com a natureza mais pura. Para isso, cada detalhe foi cuidadosamente planeado e pensado na hora de conceber e projetar este hotel.

Um dos aspetos mais importantes foi o desenho arquitetónico que contou com o contributo das soluções de vidro da Guardian Glass.

Na palavras da equipa de arquitetos da VIVOOD, “por se tratar do projeto de desenvolvimento de um hotel de paisagem numa envolvente natural privilegiada, em que a relação direta com o exterior é fundamental, o vidro é o elemento material que determina a relação que se procura, garantindo as condições de conforto que são exigidas a um hotel”.

Daniel Mayo e a sua equipa encarregaram os vidros Guardian Glass da tarefa de serem mediadores entre a paisagem envolvente e o hóspede nos diversos espaços construídos.

Natureza, sustentabilidade e exclusividade

O Hotel VIVOOD contempla uma infraestrutura ecofriendly que respeita o meio ambiente. Desde o momento em que era apenas um esboço, o seu criador tinha claro que VIVOOD devia ser um espaço que se integra na natureza, minimizando o impacto na envolvente. Tudo sem renunciar a instalações de luxo que contam com a mais recente tecnologia para tornar a estadia ainda mais cómoda e confortável.
O projeto conta com um total de 35 quartos únicos, exclusivos e diferentes, distribuídos por dez villas privadas, quatro suites com piscina e vinte e uma suites duplas. Todas elas com um desenho minimalista, sem por isso deixarem de ser vanguardistas e de luxo.
foto

Interior e vistas a partir de uma das suites duplas do VIVOOD. Foto: Alfonso Calza.

As suites adotam a forma cúbica, espaços independentes com cerca de 27 metros quadrados, adaptados à orografia, sem a alterar ou modificar. Estão distribuídas ao longo de vários caminhos naturais que percorrem um trilho de montanha, elevadas a cerca de três metros do nível do solo, no qual se apoiam com recurso a uma série de pilares metálicos de altura variável e completamente integrados no meio.

Todos os módulos foram pré-fabricados e montados em estaleiro, sendo depois transportados até ao local, reduzindo assim os prazos, resíduos e impactos na envolvente. A altura a que se elevam faz com que se mantenha o respeito pelo terreno original.

Os cubículos,compostos por três painéis de madeira e um de vidro Guardian Sun,acedem-se através de uma rampa ou escada, dependendo do terreno onde se encontram. Tudo isto faz com que cada um tenha um desenho único e personalizado, influenciado pela parcela de terreno onde se situam e não ao contrário.

Um planeamento através do qual se pretende aproximar os clientes da experiência do luxo e do conforto numa envolvente completamente natural. Quatro destas suites, além do mais, contam com um terraço exterior e jacuzzi climatizado ao ar livre.

Quanto às villas, privadas e independentes umas das outras, medem cerca de 70 metros quadrados. São as habitações mais luxuosas e espaçosas do hotel. Contam com um salão panorâmico, terraço solário, piscina climatizada ao ar livre, quarto com camas 2X2 metros, quarto de vestir, tela de cinema no quarto, casa de banho com chuveiro de efeito chuva com vistas para a montanha e equipadas com tecnologia domótica.
foto
Quarto de uma das villas, ambos com vista panorâmica. Foto: Alfonso Calza.
Nas instalações do hotel também encontramos duas piscinas panorâmicas que se integram na paisagem e parecem fundir-se com o horizonte, um spa inspirado nos cinco elementos da natureza, restaurante, lounge bar e bar de piscina, salas de reuniões e mais de 75 mil metros quadrados de terreno (apenas 7,22% da área se encontra construída).
O compromisso de VIVOOD vai para além do respeito pela natureza, uma vez que aposta no consumo e no emprego local; entre os produtos que o hotel oferece, uma larga maioria provém da região, bem como os empregados que ali trabalham. São, sem dúvida, os melhores embaixadores para um estabelecimento que procura que o hóspede se envolva com tudo o que o rodeia.
O visitante poderá ativar os seus sentidos num lugar livre de qualquer incómodo, ruído ouda poluição luminosa e ambiental do quotidiano dos ambientes urbanos. A experiência do autêntico, do natural e do selvagem assume um novo sentido através da visão. O design da VIVOOD destaca-se pela força e pelo poder que este sentido tem quando se trata de dar a conhecer a intensidade e o significado do que nos envolve, portanto, a experiência visual tem aqui um papel central. Para que todo este potencial esteja também presente nos espaços interiores Daniel Mayo e a sua equipa escolheram a Guardian Glass.
foto
Túnel bitérmico do spa com vistas panorâmicas. Foto: Alfonso Calza.

Uma experiência imersiva na natureza graças ao vidro Guardian

No VIVOOD, todos os quartos estão acima do nível do solo, orientados para um vale; uma janela panorâmica do chão ao teto surge em frente à cama, sendo a única coisa que separa o hóspede da natureza mais pura, e deixando que esta entre no quarto. O mesmo sucede com a casa de banho, onde o hóspede pode tomar um duche cara a cara com o vale. Além do mais, VIVOOD faz da iluminação natural uma marca, algo que permite criar ambientes mais saudáveis e confortáveis.

É aqui que a Guardian Glass dá o seu maior contributo, tornando palpável o conceito de 'hotel-paisagem' que se funde com a envolvente, graças a um desenho arquitetónico onde, nas suites, villas e instalações (restaurante, receção ou spa), o vidro converte-se em moldura panorâmica, o único mediador entre hóspede e envolvente sem alterar a sua perceção, e conseguindo uma notável conexão interior-exterior.

Acresce ainda que se trata de um vidro que funciona como isolamento acústico. A equipa de arquitetos do VIVOOD afirma que “o papel do vidro num projeto com este fim e estas características é fundamental enquanto elemento arquitetónico”. Um vidro que ajuda a conseguir essa equação única entre natureza e relaxe.

No que respeita às soluções Guardian Glass selecionadas para este projeto, usou-se em termos gerais os vidros Guardian Sun, ainda que as dimensões do vão a fechar e as dimensões das peças em que estes se decompunham, introduziram alterações na espessura das lâminas que compõem os vidros.

“A utilização destes vidros é aconselhada porque resolve as exigências térmicas impostas pelo Código Técnico da Edificação para o projeto que enfrentávamos, enquanto nos oferecia, ao mesmo tempo, uma transparência quase total, sem alterar em demasia a coloração da envolvente”, explicam os arquitetos.

O vidro Guardian Sun selecionado revelou-se o ideal para este projeto, graças ao conforto que proporciona no inverno e no verão em zonas com climas como o mediterrânico. Trata-se de um vidro inteligente, que isola do exterior, filtrando a entrada de calor do sol no verão; bloqueia 57% da energia solar, reduzindo o sobreaquecimento dos interiores e ajudando a manter uma temperatura interior fresca, reduzindo, com as caixilharias adequadas, a necessidade de uso de equipamentos de refrigeração.

Por outro lado, graças a um 'Valor U' muito reduzido de apenas 1.1 W/m2K, contribui para manter o calor no interior durante o inverno. Não só ajuda a conseguir o conforto nas áreas interiores que os visitantes de um hotel como este necessitam, como contribui, através do elevado isolamento, para a eficiência e a poupança energética. Algo que vai ao encontro do compromisso com o respeito pelo meio ambiente em que aposta este hotel.

foto
Vista exterior de suite. Foto: Amanda González.

A Guardian Glass conta com uma ampla gama de vidros por onde escolher, dependendo do tipo de construção, das particularidades da envolvente onde se localiza ou o resultado e rendimento que se espera obter. A Guardian oferece múltiplas combinações de soluções para encontrar o vidro que melhor se adapta a cada projeto, e que permite conseguir o conforto e o bem-estar de cada um dos clientes. Um vidro absolutamente válido para um vasto leque de tipologias de projeto: moradias, edifícios de escritorios, comércio, hotéis e restaurantes.

Da parte de VIVOOD mostram-se satisfeitos com o resultado obtido com os vidros, assim como com a colaboração com a Guardian Glass já que, dadas as características do hotel, “consideramos ter encontrado um parceiro que nos oferece garantias e um produto de grande qualidade”, afirma a equipa de arquitetos.
Acerca do papel do vidro no desenho e nas tendências arquitetónicas atuais, apontam que este é “o único material de construção que permite uma relação visual direta com a envolvente onde a arquitetura se implanta, o que permite, em climas adversos, oferecer uma relação interior-exterior própria de climas mais favoráveis”.
Assim, valorizam muito positivamente a forma como a presença do vidro se está a alargar para cada vez mais âmbitos e projetos arquitetónicos, e como isso está a afetar positivamente a oferta de possibilidades em relação aos tipos de vidro; “uma vez superada a utilização do vidro como revestimento único e estandardizado dos grandes edifícios corporativos, hoje em dia o vidro oferece múltiplas possibilidades técnicas e cromáticas, que possibilitam as mais diversas relações espaciais entre domínios contíguos”.
foto
Foto: Pablo Vázquez.
NovoPerfil PtPassivhaus: vamos construir o fturo que queremos!Novoperfil TwiterNovoperfil FacebookAcademia AnfajeAdene - Agência para Energia : eficiência tem classe CLASS +20 Years Jaba traduçao técnica especializada 4.0

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

novoperfil.pt

Novoperfil - Informação para o setor da envolvente do edifício

Estatuto Editorial