Vekaplast: desperta os seus sentidos
Informação profissional sobre a Envolvente do Edifício

O impacto da etiquetagem energética CLASSE+ na procura de janelas eficientes

ADENE - Agência para a Energia06/05/2021
A escolha de janelas eficientes é fundamental para a eficiência energética de um edifício, uma vez que este elemento pode ser o responsável pela perda de até cerca de 40% da energia de uma habitação. A etiqueta energética CLASSE+, que destaca as empresas do setor empenhadas na promoção da eficiência energética, tem como missão ajudar a distinguir janelas eficientes de não eficientes, com um notório aumento da perceção do consumidor no impacto que estes elementos podem ter no conforto e no desempenho energético do parque edificado.
foto

Evolução da etiquetagem energética CLASSE+

O Sistema de Etiquetagem Energética de Produtos, inicialmente designado por 'SEEP', foi criado pela ADENE em 2013. Esta iniciativa surgiu da experiência da ADENE enquanto entidade gestora da Certificação Energética de Edifícios. Através deste sistema resultaram dados que permitiram concluir que aproximadamente 60% das medidas de melhoria que constam nos Certificados Energéticos (CE) incidem sobre os elementos da envolvente dos edifícios, como é o caso da substituição de janelas, aplicação de coberturas, isolamentos, etc. Em contraste com os sistemas técnicos, estes elementos da envolvente não são abrangidos pela regulamentação obrigatória. Deste modo, verificou-se a necessidade de disponibilizar um instrumento informativo à semelhança da etiqueta europeia, que facilite a comparação entre produtos quanto ao seu desempenho energético e permita uma escolha informada pelo consumidor.

Neste contexto, a iniciativa arrancou com a operacionalização da etiqueta energética para janelas. Posteriormente, em 2018, o sistema foi alvo de um processo de renovação, do qual resultou uma nova marca e imagem: 'CLASSE+. A eficiência tem classe'. Atualmente, o CLASSE+ assenta num regime voluntário, com um modelo dirigido para o consumidor, mais ágil para as empresas e mais sustentável para o mercado.

Em estreita colaboração com a ANFAJE e com base nos estudos de classificação energética destas soluções construtivas, realizados pelo IteCons, foi possível desenvolver uma etiqueta energética que classifica as janelas (primeiro produto etiquetado) numa escala que já nos é familiar, de “F” (menos eficiente) a “A+” (mais eficiente). As janelas eficientes podem ter várias caraterísticas técnicas, sendo que os parâmetros mais importantes estão em destaque na etiqueta e os restantes encontram-se disponíveis para consulta no portal CLASSE+ através da pesquisa por ID de etiqueta ou pelo código QR. Os tipos de materiais em termos de caixilho podem ser alumínio, madeira, PVC, alumínio-madeira, entre outros, que vão conjugar com o vidro e um bom sistema de ferragens. A instalação é uma etapa essencial para garantir a qualidade da janela, se esta não for feita de forma adequada poderá prejudicar o desempenho energético da janela.

Com a inclusão de pictogramas que tornam mais claro o que significa cada parâmetro, a etiqueta contribui para que o consumidor não tenha de lidar com documentação técnica, que nem sempre é clara.
foto

No lançamento do CLASSE+, em dezembro de 2017, foram 19 as empresas pioneiras do setor das janelas que se afirmaram como empresas CLASSE+, empenhadas na inovação de produtos eficientes, na promoção da eficiência energética e na proteção do ambiente. Atualmente, o número de empresas disparou, contando já com mais de 900 as empresas que usam a etiqueta CLASSE+, que já emitiram 145 mil etiquetas energéticas para distinguir os seus produtos eficientes num mercado cada vez mais competitivo.

Também os profissionais responsáveis pela instalação de janelas podem ser certificados através do Curso de Instaladores de Janelas Eficientes CLASSE+, dinamizado pela Academia ADENE, que reuniu até à data cerca de 500 participações. Esta formação de caráter mais prático visa o reforço das competências dos profissionais do setor, assegurando a qualidade das obras de instalação de janelas. Numa outra vertente, surge o Curso de Prescritores de Janelas Eficientes, que contou com a participação de mais de 100 profissionais, entre os quais engenheiros, arquitetos, gestores de património edificado e orçamentistas de janelas. Este curso inovador pretende elevar o nível de exigência no que diz respeito às boas práticas na prescrição de janelas eficientes, melhorando a qualidade dos serviços prestados pelos profissionais. Estão previstas mais edições para este ano, tendo a última ocorrido a 31 de março com lotação esgotada. Para mais informações e inscrições sobre os cursos CLASSE+, aceda à página da Academia ADENE: https://academia.adene.pt

A expansão do CLASSE+ prevê a abrangência de outros elementos da envolvente dos edifícios, nomeadamente a películas de controlo solar, isolamentos pelo exterior (ETICS) e elevadores.

Contribuição do CLASSE+ para a concretização de políticas e estratégias energéticas

Em Portugal, cerca de 19% da população tem dificuldade em manter a casa quente durante o inverno, o que torna o nosso país num dos países europeus se sente o desconforto térmico, com o frio dentro das habitações (Eurostat, 2019). O setor da construção surge como um dos maiores consumidores de energia da Europa, cerca de 75%, sendo de igual modo responsável por um terço das emissões de GEE na União Europeia. É necessário atuar em duas vertentes para reverter a atual situação: informar os cidadãos sobre a importância da qualidade das soluções construtivas e a da correta instalação e dinamizar, através de programas e instrumentos de incentivos financeiros, a sustentabilidade ambiental no parque edificado nacional.
Com a celebração do Pacto Ecológico Europeu, foram identificadas iniciativas para cumprir os objetivos de descarbonização, entre as quais a reabilitação de edifícios existentes. As medidas que constam na Estratégia de Longo Prazo de Renovação dos Edifícios (ELPRE), compreendem, entre outros aspetos, a intervenção nas envolventes dos edifícios e a criação e/ou desenvolvimento de programas de financiamento para a renovação e de mobilização de investimento, público e privado, assim como o reforço das políticas de incentivo e monitorização do mercado. Com efeito, há um alinhamento e articulação dos objetivos e ações da ELPRE com o Pacto Ecológico Europeu e com o Plano de Recuperação Europeu, cuja iniciativa prioritária denominada como Renovation Wave (Vaga de Renovação), para converter o parque imobiliário descarbonizado e de elevada eficiência energética, facilitando a transformação dos edifícios existentes em edifícios NZEB.
Com efeito, etiquetagem energética CLASSE+ assume um papel fulcral nesta estratégica no que diz respeito à substituição de vãos envidraçados das habitações dos portugueses, uma vez que através este elemento pode ser o responsável até cerca de 40% da energia de uma habitação. A etiqueta não só permite informar o cidadão sobre as vantagens das soluções eficientes, como garante também a qualidade da solução adquirida.

O 'Programa de Apoio a Edifícios Mais Sustentáveis', do Fundo Ambiental, foi um instrumento impulsionador da melhoria da eficiência energética, hídrica e ambiental das habitações, para o qual foram recebidas 7 mil candidaturas que esgotaram a dotação de 4,5 milhões poucos meses depois do seu lançamento, em setembro de 2020. Este programa público contemplou a substituição de vãos envidraçados, sendo elegíveis a financiamento apenas as janelas com etiquetas CLASSE+, de classe “A+”, garantindo assim a eficiência das janelas a instalar. Está prevista a continuação do Programa de Apoio a “Edifícios Mais Sustentáveis”, agora com verbas europeias provenientes do Plano de Recuperação e Resiliência da Economia Portuguesa. A abertura das candidaturas do novo Programa deverá iniciar em abril de 2021, mas são elegíveis despesas incorridas desde 1 de janeiro de 2021.

Perspetiva do consumidor

A consciencialização do consumidor relativamente à importância do conforto na habitação é essencial para alcançar as metas propostas para a descarbonização das cidades. As ações que têm vindo a ser tomadas procuram a redução dos consumos energéticos e, consequentemente, uma diminuição da dependência energética e das emissões de CO2, melhorando a ainda qualidade de vida dos cidadãos.

Ao considerar melhorar o conforto em sua casa, o cidadão deve conhecer os benefícios que os elementos da envolvente podem ter no desempenho energético da habitação. No caso das janelas eficientes, podemos obter um maior isolamento térmico, uma vez que permitem diminuir significativamente as perdas de calor para o exterior e a entrada de frio e controlar os ganhos solares excessivos no verão.

O reconhecimento dos ganhos energéticos que é possível obter através da troca de janelas antigas por janelas eficientes é cada vez mais expressivo, com os portugueses a apostarem em investimentos que contemplam intervenções na envolvente envidraçada da habitação para concretizarem medidas de melhoria do seu imóvel. Com efeito, das 2900 candidaturas submetidas e aprovadas no âmbito do 'Programa de Apoio a Edifícios Mais Sustentáveis', 840 (cerca de 25%) incidiram na substituição de vãos envidraçados. Este número resulta da análise das candidaturas ao Aviso 25 do Fundo de Eficiência Energética (FEE), da qual se conclui que uma parte expressiva das candidaturas, cerca de 44%, incide na substituição de janelas antigas por janelas eficientes. Assim, torna-se evidente a existência de uma preocupação com este elemento por parte do cidadão, quando pretende obter conforto térmico na sua casa e poupança na fatura energética. A título de exemplo, se for realizada a substituição de uma janela vulgar, de vidro simples e sem corte térmico, por uma janela com etiqueta CLASSE+ com classificação “A+”, permite reduzir em, pelo menos, 55% as perdas de energia associadas a esse elemento. Juntando aos ganhos energéticos, ter uma casa mais confortável, pode reduzir entre 5 e 10% de gastos com saúde, que por sua vez pode representar, em média, menos 70€ a 140€ de despesa anual (PORDATA, 2015). Se juntarmos isso à redução da fatura energética, significa que uma família portuguesa típica pode poupar entre 270€ e 990€ por ano se optar por soluções eficientes para a envolvente da sua casa.

A consciencialização do consumidor relativamente à importância do conforto na habitação é essencial para alcançar as metas propostas para a descarbonização das cidades

De acordo com as diretrizes da União Europeia, o caminho apontado para a recuperação económica e para o combate à ‘Pobreza Energética’ passa pelo aumento da eficiência energética dos edifícios, pois tal traz benefícios económicos, ambientais e sociais. É neste contexto que o CLASSE+ se torna fulcral para e identificar e divulgar as janelas mais eficientes, que por sua vez dão um importante contribuindo para a redução das necessidades de aquecimento e arrefecimento e, consequentemente, para a diminuição dos custos associados ao consumo energético das famílias portuguesas.
foto
DecorHotel: Fil - Lisboa 21 a 23 Out 2021Adene: janelas eficientes só com etiqueta energética CLASSE+Academia Anfaje: formaçao - workshops - seminários técnicosIndalsu: mais próximo de siJaba: tradução 4.0

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

novoperfil.pt

Novoperfil - Informação profissional sobre a Envolvente do Edifício

Estatuto Editorial